Pesquisar

Luiz Gustavo Amadei

Um espaço de contato com a psicanálise para além do consultório.

Encatamento pela vida

É comum em algumas áreas da psicologia se falar em encantamento pela vida. O que seria isso? No texto que se segue pretendo trazer essa ideia de forma simples para que você possa encontrar estratégias de afirmação da vida.  Continue reading “Encatamento pela vida”

Que tal falarmos de depressões? – Parte final

Vimos nas postagens anteriores que não adianta em nada camuflarmos os desconfortos psíquicos em nossas vidas. Mesmo tomando uma série de atitudes com o objetivo de esconder os traumas, os conflitos ou qualquer manifestação que possa ser ligada à tristeza, essas retornarão e cobrarão da pessoa uma solução.

A estratégia pessoal de “deixar para lá” o que está sentindo ou o que está incomodando pode ir minando suas relações pessoais, já que a cobrança pode se transformar em solidão, amargura, falta de ânimo e, principalmente, em vazio de sentido na vida.  Continue reading “Que tal falarmos de depressões? – Parte final”

Que tal falarmos sobre depressões? – Parte II

Agora, vamos para a segunda parte do texto sobre as depressões, as quais atingem muitas pessoas e, boa parte delas, não sabem o que fazer.

Seguindo com Kehl (2004) a psicanálise pode abordar o problema da depressão por outro viés: como sintoma que ocorre no social. Bem, o que isso quer dizer? Quer dizer que não é apenas a parafernália química a responsável pela depressão. Continue reading “Que tal falarmos sobre depressões? – Parte II”

Que tal falarmos das depressões? – Parte I

O texto a seguir está apoiado no livro da psicanalista Maria Rita Kehl chamado O tempo e o cão, de 2004, publicado pela editora Boitempo.

Vamos nos aproximar desse problema pela via da psicanálise, e não pela psiquiatria com seus manuais de adoecimentos. Apresentaremos, aqui, as posições que as pessoas passam a assumir para suas vidas quando estão diante dos fenômenos depressivos. Assim sendo, sigamos com a autora.

Os estados de ânimo como tristeza, abatimento, desânimo, inapetência para a vida, não significam necessariamente depressão, ainda que existam aproximações. Além disso, o sofrimento vindo de alguma perda familiar ou de algum fracasso (seja em qualquer área da vida) não precisa ser necessariamente confiscado como depressão. Continue reading “Que tal falarmos das depressões? – Parte I”

Os novos modos de vida também causam sofrimento

O texto abaixo visa apresentar algumas diferenças entre os modos de vida de antigamente e os da nossa época. Em ambas é possível notar formas de sofrimento. Enquanto estiver lendo é necessário ter em mente que não se deixou totalmente o mundo de antigamente. Algumas coisas ainda existem com variadas forças e intensidades. Neste cenário a psicanálise pode ser uma boa ferramenta para lidar com essas formas variadas do sofrer.

Um aspecto importante no mundo de outrora era Continue reading “Os novos modos de vida também causam sofrimento”

Um curioso texto sobre aspectos da psicanálise

“Renato Mezan [1] conta que foi Freud quem escreveu o verbete “psicanálise” para a Enciclopédia Britânica em 1923. Lá, defendeu que a psicanálise é o nome que se dá a 3 coisas diferentes: Em primeiro lugar, é ” Continue reading “Um curioso texto sobre aspectos da psicanálise”

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑

Aponta bem.

Tudo o que se faz e está por ser feito.

No fundo do ônibus

Dispensa-se metáforas e poesia.

Psicólogo Renan S. Carletti

Reflexões sobre clínica e psicologia